Uma carta que encontrei

Ontem à tarde andava a tirar lenha velha do fundo da minha cave e encontrei um maço de papéis que tinha escondido há mais de 20 anos. Escondi estas coisas para a minha mulher não ver porque eram só cartas de amor e alguns recorte de gajas nuas que eu gostava de ver na altura. É claro que hoje com a internet estas fotografias já não me dão nada, mas estas cartas ainda me dão algum nervoso no coração. Vou transcrever uma delas:

 

"Meu lindo Fax

 

Gostava de saber se gostas de mim porque eu gosto de ti. Penso que se calhar não gostas de mim porque tu nunca olhas para mim e tratas-me como se eu fosse invisível. Mas só para ficares a saber, eu reparo em ti e acho que és muito interessante e giro.

Espero que depois desta carta percebas o quanto eu te amo e quanto eu gosto de ti e começes a olhar mais para mim. Obrigado.

 

Só para ficares a saber eu sou muito boa a cozinhar e também já sei passar a roupa e lavo a loiça sempre que é necessário. Sei que isto não te vai impressionar porque tu só queres é jogar ao berlinde e futebole mas se pensares um bocadinho isto são coisas muito boas para o futuro e caso nos venhamos a casar eu serei uma boa dona de casa e boa para os nossos filhos. Mas tu é que sabes.

 

As outras raparigas da nossa turma não fazem nada destas coisas e só dizem mal umas das outras. Tenho a certeza que se me escolheres a mim serás feliz e terás roupa lavada.

Por favor responde e deixa a carta dentro do meu cacifo (54). Podes meter pela ranhura que a carta passa. Se quiseres oferecer uma prenda fala comigo antes e combinarmos onde podes deixá-la. 

 

És lindo. 

Um beijo da Tatiana que te Ama"

 

Onde é que será que esta Tatiana anda?

tags:
publicado por fax às 06:30 link do post | comentar | favorito