Casas de banho de cafés

Uma coisa que eu acho muito muito ridícula são aquelas placas que os restaurantes têm nas portas da casa de banho, a identificar as dos homens e as das mulheres.

 

Os donos de cafés e restaurantes, e também acho que os de snack bares, têm muita vontade de ser diferentes e inovadores, então arranjam símbolos confusos para pôr nas portas da casa de banho. Nunca é uma coisa simples, tem de ser sempre muito elaborado e divertido. Eu não me quero rir quando vou à casa de banho. Quero só ir verter umas águas, ou então é porque estou muito aflito de outras vidas. Não gosto que me façam charadas quando estou à rasquinha.

 

O que se vê mais é o homem de fraque e cartola, e a mulher de vestido comprido com o rabo em fole. Acho que são placas de 1900. O que eu não percebo é como é que todos os donos dos cafés decidiram que esta era a melhor época da história para ilustrar o que é uma casa de banho. Pelo que eu sei, nessa altura eles só usavam penico e faziam num canto onde calhava e as empregadas limpavam. Como se nessa altura fosse mais chique fazer xixi ou cocó... Como que poder arraiar um poio ou cortar a cauda ao macaco fosse só para as elites e pessoas ricas.

 

Escolher esta época das cartolas parece que foi ao calhas e podia ter saído outra qualquer na rifa. Imaginem que tinha calhado aquela época em que todas as pessoas viviam nas cavernas. Cheias de bigodes e cabelos compridos, onde nem se distinguiam homens e mulheres. Ou então calhava aquela época em que ainda éramos todos macacos. Isso é que era uma confusão distinguir um macaco de uma macaca. Se fosse eu a decidir metia um boné no macaco e sabia sempre qual era o macho.

 

Como uma vez que me baralhei nos símbolos, e entrei na casa de banho errada. Estava lá uma mulher com a porta aberta a comer umas sandes panadas às escondidas. Ela é que estava às escondidas, mas as sandes se calhar também foram panadas às escondidas porque estavam mais para o queimado. Até lhe disse para ela não comer aquilo. E ela: "então como o quê?", e eu pisquei-lhe o olho.

 

tags:
publicado por fax às 11:29 link do post | comentar | favorito